Culto em Ação de Graças marca aniversário da Diaconia no Recife

Ministério da Educação
Tipografia

A manhã do último domingo (26) teve uma programação toda especial na Catedral Anglicana da Santíssima Trindade, no bairro do Espinheiro, Zona Norte do Recife. É que a comunidade acolheu, além dos seus membros, funcionários e funcionárias da Diaconia, lideranças de Igrejas associadas e grupos parceiros de crianças, adolescentes, jovens e mulheres, para a comemoração do aniversário de 48 anos da organização na capital pernambucana e municípios da Região Metropolitana.

Ao todo, cerca de 250 pessoas estiveram presentes, e puderam participar de momentos como depoimentos, esquete teatral e música, mostrando a arte e a mobilização comunitária como caminhos para transformar vidas. Um dos destaques foi para a apresentação do Grupo Teatral Pedra Polida, com o premiado espetáculo Céu Estrelado (foto), trazendo uma reflexão sobre a realidade vivenciada pelas crianças da comunidade de Peixinhos (município de Olinda), diante dos transtornos trazidos pelas chuvas a partir da poluição dos rios e as consequentes enchentes.

Representando o Grupo Jovem Quebra Kabeça, do bairro do Morro da Conceição (Recife), o universitário Ewerton Antonio trouxe um depoimento emocionado sobre as transformações vivenciadas nos jovens e na comunidade a partir das parcerias ao longo dos últimos 12 anos: “A comunidade é muito grata pelo apoio, dedicação e transparência da Diaconia conosco. Nossa história é de muita luta: nos unimos pela conquista da água e das casas, por causa das barreiras, por uma vida mais digna pra nossos adolescentes e jovens. Hoje já estou no 4º período de Letras, e sou grato pela contribuição dessa formação”, agradeceu Ewerton.

Uma mensagem transmitida pelo diretor executivo da Diaconia, Pastor Armindo Klumb, também abrilhantou o evento. Em sua fala, o pastor fez um resgate das origens da palavra diaconia (que em grego designa “serviço”), como resposta à necessidade que surgiu na Igreja do 1º século, em atender às viúvas e demais pessoas órfãs e necessitadas.

“Fazer Diaconia a partir do texto do livro de Atos implica em incluir as pessoas que são excluídas dentre nós, o nosso próximo, garantindo desde a alimentação suficiente e de boa qualidade até a garantia do bem-estar das pessoas de forma integral. Por estarmos fundamentados no Evangelho, temos certeza que o nosso trabalho transforma vidas”, pontuou o diretor.

O momento ainda contou com apresentações da banda musical do Exército de Salvação, e orações com o corpo funcional da Diaconia. Ao final, o público foi presenteado com um lanche agroecológico desenvolvido através da parceria entre famílias agricultoras peri-urbanas e crianças atendidas pelo projeto Casa Esperança de Igarassu (na Região Metropolitana). As receitas, inusitadas e conhecidas do público (como pastel de jaca e bolo de macaxeira), já estão sendo produzidas por mães e avós que participam de oficinas de alimentação criativa.