Obediência e força

Devocionais
Tipografia

Então, seus irmãos desceram, e toda a casa de seu pai, tomaram-no, subiram com ele e o sepultaram entre Zorá e Estaol, no sepulcro de Manoá, seu pai. Julgou ele a Israel vinte anos. (Juízes 16.31)

Sansão havia pecado gravemente. Ele confiara tanto em sua força e viu-se rendido, após ser traído por Dalila e entregue nas mãos dos filisteus, que preferiram humilhá-lo ao invés de simplesmente matá-lo. Deus não o desamparou, no entanto, Sansão sofria as consequências da escolha de se render aos encantos de Dalila. Prisioneiro em Gaza, de onde arrancara os portões da cidade, Sansão agora era cego de um olho e servia para entreter os seus inimigos, que se riam de sua fraqueza. Não obstante seu passado de erros, Deus responde à oração de Sansão, concedendo-lhe forças para um último ato.

Um dos efeitos da desobediência a Deus é diminuir a nossa vontade de orar. Parece que, quanto mais desobedecemos a Deus, menos queremos conversar com ele. Não permita que a culpa o afaste do único caminho possível para a restauração. Não importa o tamanho da consequência que você vem enfrentando, nem a quanto tempo estás distante de Deus, confie no Pai e apresente-se disposto a mudar. Um coração arrependido é o primeiro passo para mudanças de atitudes e a restauração de vidas.

Ao orar, lembre-se que Deus está sempre pronto a ouvir e intervir em sua vida, transformando o passado de erros num presente de transformação e num futuro de nova vida e esperança em Deus. A obediência a Deus nos garante força para a jornada de transformação.

Oração: Senhor, ensina-me a ser cada dia mais obediente a ti. Dá-me forças. Em nome de Jesus, amém.

Reverendo Giovanni Campagnuci Alecrim de Araújo
Pastor da Igreja Presbiteriana Independente de Araraquara, SP
Secretário de Música e Liturgia da IPIB