Inscreva-se já Proclame 2014 | Discipulado: Compartilhe Vida

13 a 16 de novembro, na Estância Árvore da Vida, Sumaré, SP

plain

Meditações

Edificação e crescimento espiritual. Leia as nossas meditações

palavradadiretoria ipib

Palavra da Diretoria

Pronunciamentos e manifestações da Diretoria da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil

secretariageral ipib

Secretaria Geral

Convocações, Comunicações e informes da Secretaria Geral da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil

agenda ipib

Agenda

Datas históricas, eventos, reuniões de Sínodos e Presbitérios, celebrações de Igrejas

Notícias

Eleições CNA: Chapa Sempre Avante

A Chapa Sempre Avante se apresenta para servir o Reino de Deus, na IPI do Brasil, através da Coordenadoria Nacional de Adultos. Qu...

Leia mais

UMPI Presbitério Bandeirante convida para acampamento

Coordenadoria da UMPI do Presbitério Bandeirante convida para seu Acampamento, em Nazaré Paulista, SP, nos dias 16 , 17 e 18 de outubro...

Leia mais

1ª IPI do Turvinho comemora o seu centenário

A 1ª IPI do Turvinho localizada no bairro da Paineira no município de Pilar do Sul comemorou o seu Centenário no dia 23 de agosto. O culto a...

Leia mais

Jubilação do Rev. Esmael Salgado Arcas

A IPI de São José dos Campos, convida a todos para a jubilação do Rev. Esmael Salgado Arcas, após 43 anos de ministério, a realizar-se no di...

Leia mais

Jubilação Rev. Jessé de Andrade

Após 43 anos de ministério, o Reverendo Jessé resolve, junto com o Presbitério de Assis, realizar a cerimônia de sua jubilação. Portanto con...

Leia mais

Dia do Pastor/a e do Missionário/a

Cada igreja tem estabelecido o seu dia para homenagear os seus pastores/as e missionários/as e a Presbiteriana Independente do Brasil escolh...

Leia mais

Dia do Diácono, da Diaconisa e da Ação Social da Igreja

9julho m_ipibDia 09 de Julho comemora-se na IPI do Brasil, o “Dia do Diácono, da Diaconisa e da Ação Social da Igreja”. A data foi escolhida por ocasião da ordenação dos primeiros diáconos brasileiros eleitos em 1866.

Vale a pena relembrar a história e observar que a IPI do Brasil nasceu diaconal. Inicialmente na pessoa, de um de seus fundadores, o Rev. Otoniel Mota, que serviu de inspiração para o compromisso social na fundação da IPIB, em 1903.

Foi graças a seu esforço e visão sócio diaconal, que foi organizado o orfanato Bethel, em 1923. Também foi o Rev. Otoniel quem deu início à “Vila Samaritana”, para tratamento dos tuberculosos, em Campos do Jordão, a qual se ampliou e se transformou na Associação Evangélica Beneficente, em 1930.

Muitos outros nomes nessa época se destacaram pelo trabalho de assistência social, educação e cultura, como por exemplo o Rev. Eduardo Carlos Pereira de Magalhães, que dedicou a sua vida à pregação do evangelho e se preocupava com a missão integral da igreja. Inclusive, o Rev. Eduardo realizou um excelente trabalho entre os escravos.

A IPIB através do trabalho leigo desenvolveu um belíssimo ministério diaconal em todas as suas áreas: varonis, senhoras, mocidade e juvenis. O ministério diaconal existe nas igrejas presbiterianas brasileiras desde 1866, porém, estava restrito aos homens até então.

A ordenação da primeira diaconisa presbiteriana independente, ocorreu em 04/03/1934 e na ocasião fora eleita a irmã Odette Vieira Reis, da IPI de Marambaia (Bandeira do Sul, MG). Ainda no ano de 1934, a irmã Albina Pires de Camargo também foi ordenada diaconisa, na 1ª IPI de São Paulo, época esta de grande mobilização do movimento leigo na IPI do Brasil.

AMPLIANDO O CONCEITO DE DIACONIA
“diaconia” é um substantivo de origem grega (diakonía) iniciada com a quarta letra do alfabeto chamada “Delta” que significa “serviço”. Diakonia se refere ao cargo e trabalho de um diakonos (servo, servidor). Este substantivo é usado 34 vezes no Novo Testamento. Usa-se também, de diferentes maneiras, contextos e sentidos. Este serviço, no qual as forças e os bens são investidos a favor dos outros, se revela como o elemento fundamental para a manutenção da comunhão (“koinonia”).

Há também o verbo “diakonêin”, que significa “servir”, “ser servo”, “ser assistente”, “esperar em”, “ministrar, prestar qualquer tipo de serviço”. Este verbo [servir], recebe seu sentido neo-testamentário da pessoa de Jesus Cristo e do seu Evangelho, pois, Jesus é aquele que nos serviu da maneira mais profunda e intensa possível, não procurando interesses pessoais, mas dando sua vida pela nossa salvação. Assim entendemos melhor quando ele disse: “Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a Sua vida em resgate por muitos” – Mc 10:45. “Servir” se tornou a palavra que caracteriza as ações e as obras de amor que, brotando do amor de Deus, alcança o irmão e ao próximo.

Desta forma, nosso desejo é que todos os cristãos, sejam diáconos de Jesus Cristo e que esse verbo seja conjugado diariamente em ações práticas de serviço a Deus e que reflita em benefício ao nosso próximo, indistintamente.

Há ainda e ainda, o substantivo grego “diákonos”, que significa “servo”, “servidor”, “assistente”, “auxiliar”. Diákonos” significa primeiramente “criado”, quer àquele que faz trabalhos servis, ou o ajudante que presta serviços voluntários, sem referência particular ao seu caráter. O termo diákonos (de modo geral) deve ser distinguido do termo grego “doulos”, que significa “servo”, “escravo”. Este substantivo é usado 29 vezes no Novo Testamento de diferentes maneiras, em diferentes contextos. Desta forma, o diácono está envolvido na tarefa de servir amorosamente à igreja, aos irmãos e às pessoas, seja por meio da diaconia da Palavra (gr. Kerigma) ou da diaconia das ações.

Um exemplo disso encontramos na I Pd 4:10-11 quando Pedro disse: “Servi [diakoneo – verbo] uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve [diakoneo – verbo], faça-o na força que Deus supre”.

Assim, o diácono e a diaconisa, são os agentes da missão diaconal integral. São eles e elas que servem, de acordo com o dom que receberam.

Esses agentes (diáconos e diaconisas) servem, sempre a partir do diácono por Excelência que é Jesus Cristo. São os agentes diaconais que continuam e perpetuam a obra de diaconia (a obra de servir) realizada por Jesus Cristo e, deste modo, esses agentes estão envolvidos ativa e efetivamente na obra da salvação das pessoas uma vez que: “Na diaconia, o nosso coração é movido de compaixão devido às carências e dificuldades dos necessitados, em todos os sentidos”. (ZEMUNER, Adiloar Franco. Diaconia e Ação Social. Londrina/PR, Seminário sobre Diaconia, Projeto Férias nos Campos, SMI-Projeto Natanael, Julho/2000.)

O Rev. Adiel Tito de Figueiredo, de saudosa memória, escreveu que: “Diáconos e Diaconisas são servos de Deus para realizar, em nome da igreja e por ela (dentro e fora), beneficência ou caridade. Foram estabelecidos por Deus para tal Ministério” (vocação) (FIGUEIREDO, Adiel Tito de. Diaconia ou Promoção Humana. São Paulo, Pendão Real, 1997. pp. 17 e 25. (Grifos Nosso)).

Rodolfo Gaede Neto escreve que: “Diaconia é ação salvífica de Deus que motiva, a partir da fé, uma ação da Igreja em favor de pessoas que se encontram em situação de sofrimento, pobreza e injustiça, ação esta que se dá através da intervenção consciente, da ação social e política, da ajuda, da atuação pelo amor, da aceitação mútua, inteira, libertadora e curativa, visando transformar uma situação de sofrimento ou injustiça, visando que os pobres resolvam seus problemas e visando um estado de justiça” (NETO, Rodolfo Gaede. A Diaconia de Jesus – Contribuição para a Fundamentação Teológica da Diaconia na América Latina. São Leopoldo/ Sinodal; São Paulo/Centro de Estudos Bíblicos e Paulus Editora, 2001. p.33.)

Diaconia não implica em privilégios ou exclusividade, mas em disponibilidade para servir à comunidade toda, “com vista ao aperfeiçoamento dos santos para desempenho do seu serviço (diakonía), para a edificação do corpo de Cristo” (Ef. 4.12).

Assim, diaconia é serviço, é servir as mesas, é servir a alguém, é servir ao próximo e nunca a si mesmo. É servir com amor, caridade e beneficência. É o que deve ser feito (preferencialmente) em favor do pobre, do necessitado, do excluído. A igreja tem responsabilidade para com os pobres de dentro e fora dela. Alguém já disse que “pregar a existência de um céu para quem tem o estômago faminto não funciona”.

Tenho comigo um princípio que, para ser pastor, primeiramente devo ser um diácono e para ser um diácono, devo ser um cristão. Dentro dessa perspectiva, entendemos que a reflexão sobre os paradigmas diaconais é de extrema relevância para os nossos dias, considerando que Deus, em todas as épocas, tem despertado e vocacionado homens e mulheres para o cuidado e auxílio de seu povo.

Desta forma, precisamos ampliar a nossa visão sobre a abrangência da ação diaconal e veremos que fazer diaconia (servir), não limita-se somente a assistir aos necessitados e excluídos, ou à uma função cristã, mas diaconia implica em um modo e jeito de ser da Igreja e um estilo de vida do próprio cristão. Descubriremos que diaconia deve fazer parte da nossa espiritualidade integral. A mesma mão que se levanta aos céus enquanto cantamos em adoração a Deus nos cultos de domingo, deve ser as mesmas mãos que se abaixam para levantar o pobre, marginalizado e excluído no dia a dia.

Portanto, fazer diaconia não é tarefa só dos eleitos (oficiais) do Ministério de Ação Social e Diaconia, mas de todo o corpo de Cristo, de todo cristão.

É oportuno destacar que existem dois grandes Ministérios na igreja cristã e especialmente na Igreja Presbiteriana Independente do Brasil, são eles: o Ministério da Palavra e o Ministério das Mesas ou Serviço (Diaconia). O Ministério da Palavra é a pregação, o ensino e tudo o que diz respeito à Educação Religiosa Cristã do rebanho. O Ministério das Mesas ou serviço (Atos 6:2-3), hoje denominado de Ministério de Ação Social e Diaconia, consiste em tudo o que diz respeito a Ação Social da Igreja ou o exercício da compaixão e misericórdia.

O diaconato, segundo Atos 6:2, é uma vocação e um ministério. A palavra “ministério” serve tanto para o ministério da Palavra como para o ministério de servir às mesas. Assim diaconia é missão da Igreja como um todo, cabendo aos diáconos e diaconisas (oficiais) a responsabilidade de liderar a Igreja e conduzir outros a este ministério.

UMA IGREJA QUE TEM DIACONIA FORTE, É UMA IGREJA FORTE
O Salmo 46:1-9 fala claramente que Deus é o Senhor que liberta o oprimido e o perseguido. Esse e outros textos bíblicos nessa perspectiva nos leva a entender que diaconia não é algo que surgiu apenas no Novo Testamento com Atos 6:1-7 através da instituição dos diáconos, ou seja, temos no Antigo Testamento, exemplos de serviços, quando lemos, por exemplo, os profetas chamando a atenção dos reis e do povo para atentarem e atenderem aos órfãos, viúvas e aos pobres, que em muitos momentos estavam sendo oprimidos e privados de seus direitos. Já no Novo Testamento, encontramos Jesus exercitando a “Diaconia do Reino” - O serviço do Reino de Deus.

É comum ouvirmos que evangelizar é tarefa de toda a Igreja. Um grupo toma a iniciativa, mas todos evangelizam, especialmente através de uma vida coerente, verdadeira. No caso da Diaconia, quem deve tomar iniciativa de serviço ao próximo é o Ministério Diaconal. Neste sentido, precisamos lembrar que nem toda a Igreja é chamada ao compromisso com os empobrecidos e sofredores. Assim, a evangelização e a diaconia caminham juntas. Não podemos pregar sem levar em consideração as necessidades daqueles para os quais nós estamos falando. Isso é o que chamamos de evangelho integral, ou seja, que atenda a todas as necessidades humanas.

Desta forma, a Secretaria de Diaconia da IPI do Brasil, vem desenvolvendo essa concientização diaconal, através da realização de cursos, seminários, simpósios e oficinas de formação e capacitação, que tem por finalidade proporcionar uma visão e uma compreensão mais ampla a respeito de diaconia. A partir daí, a diaconia ganhará sua relevância e importância como reflexão crítica sobre aquilo que a igreja faz a serviço de Deus na realidade humana de injustiça, exclusão e sofrimento. Na diaconia, a reflexão e a ação se entrelaçam e se complementam, porque a fé leva à ação. O anúncio através da palavra, e o testemunho através das ações se fundem e se complementam.

Assim, queremos nesta oportunidade, homenagear, todos os diáconos e diaconisas da IPI do Brasil.; bem como nos colocar a disposição para trabalharmos juntos, pois juntos vamos mais longe ! À todos os cristãos, diáconos e diaconisas, que exercem essa função primordial e indispensável na vida da igreja, os nossos sinceros agradecimentos e o incentivo de que continuem trabalhando na obra de Deus. Deixo-vos como motivação, o contido de I Coríntios 15:58 “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão”. Que Deus continue abençoando a todos e a todas vocês que servem a Deus e ao próximo, com saúde e entusiasmo.

Diaconalmente,
Rev. Douglas Alberto dos Santos
Secretário de Diaconia da IPIB